quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Quem foi: Mikhail Baryshnikov

Quem é Mikhail Baryshnikov? 

Baryshnikov, Nijinsky e Nureyev constituem o trio
dos maiores bailarinos de todos os tempos
Mikhail Nikolaévich Baryshnikov nasceu em Riga, na Letônia, em 27 de janeiro de 1948, ou seja, hoje está com 63 anos. Filho de pai mecânico e mãe costureira, ele iniciou suas aulas de balé somente aos 12 anos, considerado tarde por alguns. Mas isso não foi obstáculo para o talento de Baryshnikov, que três anos depois foi aceito pelo balé de Leningrado e aos 18 fez sua estreia profissional com o famoso Ballet Kirov, dançando Giselle, sendo considerado pelo crítico Clive Barnes "o mais perfeito bailarino que alguma vez vi".

Baryshnikov em Giselle
Em 1974, foi se apresentar no Canadá e decidiu pedir asilo político naquele país, no que foi atendido. Seguiu para os Estados Unidos e num curto tempo se tornou o principal bailarino do “American Ballet Theatre” já de 1978 a 1980. 

Baryshnikov foi a estrela do “New York City Ballet”. Atualmente dirige e ainda se apresenta com a Companhia de Dança que leva seu nome. Além de bailarino ele é ator, tendo estrelado o filme “O Sol da Meia Noite” (White Nights, de 1985) ao lado do dançarino e ator americano, Gregory Hines. 

Baryshnikov como Peter Pan ao lado de Gisele Binchen como Wendy
e Tina Fay como Tinker Bell
Baryshnikov já dançou repetidas vezes os grandes clássicos do balé de repertório como “A Bela Adormecida”, “Hamlet Conotations”, “Giselle”, “Balanchine” e “Don Quixote”.

Curiosidades
  • O apelido de Mikhail Baryshnikov é Misha 
  • Seu nome em russo é Михаил Николаевич Барышников 
  • Suas habilidades impressionaram o público, e seus saltos atigiam 3 metros de altura 
  • Misha era um bailarino baixo, sua altura era 1,68 metros. 
  • Transformou-se em um sex symbol no começo da carreira
  • Revolucionou o balé clássico devido à sua técnica de saltos e aos passos que fazia ainda no ar. 
  • Sua mãe suicidou-se logo assim que começou sua carreira no balé. 
  • É considerado o melhor bailarino do mundo. 
  • Em 1998 surpreendeu o público com um espetáculo de criações contemporâneas. Segundo as suas próprias declarações: "O balé clássico é para jovens. O que mais me fascina na dança contemporânea é a possibilidade de interpretar a nossa própria idade".

Um comentário: