domingo, 31 de março de 2013

Hoje Curitiba vai brincar com a gente!

Literalmente... A velha e tradicional Curitiba com seus 320 anos completados no último dia 29 de março hoje voltará a ser criança! A grande Curitiba movimenta e infinitamente atarefada hoje esquecerá tudo para brincar! A madura e moderna Curitiba que nunca pára, que sempre está para lá e para cá hoje vai parar... – Ou pelo menos pensam que vão parar!

Ao longo de sua história, a cidade que é um exemplo de inovação e respeito ao meio ambiente e motivo de orgulho para os curitibanos hoje serão marcados por essa certa magia que balança o mundo, que faz as pessoas esquecerem tudo e adentrar bem fundo no seu íntimo para resgatar a inocência de criança que todos nós temos bem no mais profundo do âmago... Mas que foi adormecido pelo passar dos anos que nos tornou adulto.


Hoje esse universo encantado que chama “Parangolé” estará em palco a partir das 19h no Auditório H. Spencer Lewis em Curitiba e nos dias 01/04 às 11h e 02/04 às 15h no mesmo local.

Após esses três dias de brincadeiras creio que será permitido aos curitibanos guardar uma leve tristeza, e também inúmeras lembranças boas; creio também que não será proibido a eles o direito de confessar que às vezes sentirão saudades - muitas saudades (e nós também teremos); nem será odioso dizer que o fim ao mesmo tempo trará um inexplicável sentimento de alívio e de sossego, porque não só brincaremos, nem somente introduziremos sorrisos nos rostos, também será criado um mundo mágico onde os sonhos poderão se tornar realidade sem a existência do mal, nem nada ruim, só existirá a vida pura e cheia de cores com inúmeras pessoas onde todas serão iguais sem ao menos lembrarem que existe um outro mundo.

Curitiba vai descobrir o que é... E o que sempre será PARANGOLÉ!

E ao final dessa inesquecível brincadeira Curitiba vai entender e compreender que dentro de cada criança existe um homem de olhos abertos para o mistério de crescer da noite para o dia e do dia para a noite... E dentro de cada homem existe uma criança recolhida numa sombra de crepúsculo que teima em evocar... "eu era..."

Portando, é esse “eu era...” que Parangolé trará à tona, é esse sentimento que nos interessa e que tanto estamos atrás esse será o nosso presente à cidade de Curitba, afinal de contas seria indelicado não presentear uma aniversariante tão especial com o que temos melhor!

sábado, 30 de março de 2013

4º Festival de Balé Infantil

video

O Festival de Balé Infantil é um evento exclusivo para crianças que ocorrerá entre os dias 28 e 29 de setembro deste ano na cidade de Criciúma em Santa Catarina, com objetivo de estimular as crianças e valorizar o profissional que atua nesta área. No Festival de Balé Infantil as professoras ganham ajuda de custo em dinheiro de acordo com o número de inscritos.

Feliz Páscoa!

Autoria da Foto: Bolshoi Brasil
Adaptação Cia de Arte Flor de Menina
Faça desta páscoa, a tua páscoa. Faça desta ressurreição, tua ressurreição. Nunca se entregue, pois é somente a cada adversidade que poderemos vislumbrar uma nova oportunidade.
Ivan Teorilang

Feliz Páscoa meninas, amanhã vocês podem se esbaldar em chocolate, mas não se esqueçam: com responsabilidade...!

sexta-feira, 29 de março de 2013

“Por que as pessoas fazem ballet?”

Essa foi a pergunta que a Maria, leitora do blog "Dos passos da bailarina", ouviu do seu irmão ao mostrar para ele um vídeo do entrance de “A Bela Adormecida”. Ela não soube o que responder e sugeriu um post sobre o assunto.


Nós somos essas pessoas que fazem ballet. Afinal, o que nos leva a isso? Acho que há dois pontos importantes: um pessoal e um coletivo.

O primeiro diz respeito às nossas próprias questões. Cada pessoa tem lá os seus motivos para escolher, justamente, o ballet clássico. Realização de um sonho de infância. Projeto profissional. Amor pela dança. Paixão pelo estilo. Alta capacidade de dedicação. Atração pela dificuldade. Continuação da atividade de infância. Enfim, uma série de fatores.

O segundo é o que nos une. Quando pensei no post, logo lembrei das palavras de Kurt Froman, coreógrafo assistente do filme “Cisne negro”, em “A metamorfose do Cisne Negro”, documentário que acompanha o DVD do filme. Ele disse o seguinte:

“Você começa na barra, todo dia, até os profissionais; começa com os pliés e parte para os tendus. Então, o mundo do balé é muito regular, repetitivo e previsível. Há um certo tipo de personalidade que é atraído por essa estrutura, porque você sempre sabe o que vai fazer naquele dia, e é uma busca pessoal do ideal, sabe. Fazer o seu corpo alcançar algo que nunca alcançará. Você tenta conseguir uma linha bonita, girar as pernas 180 graus completos, que, na verdade, o corpo não devia fazer.

“Você sabe de cara se é algo que vai mesmo querer fazer, porque exige tanto fisicamente e emocionamente, mas ao mesmo tempo, não há nada que lhe dê tal… (ele abre os braços e suspira profundamente).”

Impossível não nos reconhecermos nessas palavras. Tenho cá para mim que essa previsibilidade nos acalma. O mundo pode estar um caos, mas o plié continua sendo um plié há mais de trezentos anos. Não sabemos do amanhã, mas da sequência da barra a gente sabe. E essa busca incessante pela perfeição talvez seja para encontrar aquele momento mágico em que um movimento perfeito simplesmente acontece. Quem já conseguiu isso sabe do que estou falando. Um dia eu conto o meu…

E esse suspiro profundo no final? Entendemos muito bem do que ele está falando e, mesmo assim, não conseguiríamos explicar o seu significado a ninguém.

Por fim, acho que nos sentimos parte de algo muito maior. Não importa se somos profissionais, amadores, estudantes, o ballet clássico nos une em qualquer canto. E não apenas hoje, mas ontem e amanhã. Ou ninguém nunca pensou que os passos realizados na sua aula, a Anna Pavlova também os fazia no começo do século passado?

Essa dúvida do título não é apenas do irmão da Maria. Geralmente, é de todas as pessoas que não fazem ballet. Quem nunca ouviu um “Mas por que você faz isso? Não tem outra coisa?”.

Não, não tem.

Campo Novo em Curitiba


E viva o teatro mato-grossense! Quatro grupos de Mato Grosso se apresentam nesta e na próxima semana no Fringe, uma mostra que ocorre paralela ao Festival de Teatro de Curitiba. Dois deles são de Campo Novo do Parecis – o Teatro Ogan e a Cia Revelação de Teatro. O Ogan já é veterano no Fringe, o grupo participou da edição de 2011 do Festival, mas o Revelação vai pela primeira vez ao maior evento de teatro do país.

O Festival chega em 2013 à sua 22ª edição consolidado como um dos grandes eventos do calendário cultural brasileiro e um dos mais importantes acontecimentos teatrais do mundo. Desde o dia 26 de março e, até o dia 07 de abril, a capital paranaense se transformará num vibrante palco espalhado por todos os cantos da cidade: teatros, praças, auditórios, parques, ruas, calçadões, etc.

A Cia Revelação apresentará o espetáculo “Parangolé: A História” no domingo, 31 de março, às 19h, e nos dias 01, às 11h, e 02 de abril, às 15h, no AMORC - Auditório H. Spencer Lewis. O espetáculo, cheio de cores, os gestos, expressão corporal e a estética, leva o público a reviver brincadeiras da infância.

Já o Teatro Ogan irá participar com um espetáculo de contação de histórias “Passarinho me contou”... nos dias 31 de março, às 11h e 01 de abril, às 15h, na Praça Rui Barbosa e no dia 02 de abril, às 11h, nas Ruínas de São Francisco. Além deles, Mato Grosso será representado pela Cia VostraZ de Teatro e Teatro de Brinquedo, ambos da região metropolitana de Cuiabá.


Evolução - Teatro de Campo Novo do Parecis vive um novo tempo

Assistir a um dos espetáculos de Campo Novo do Parecis que estarão no Fringe em Curitiba é reviver a essência da arte de representar, reviver a infância, os sonhos, as brincadeiras, as rodas de contação de histórias e as historinhas de ninar. A leveza dos gestos dos contadores de histórias do Teatro Ogan, a força da expressão, os malabaristas e os pirófagos da Cia Revelação
mostram que o teatro na cidade evoluiu muito nos últimos anos.

Os dois espetáculos, dirigidos por Fran Almeida e Van Cesar, são recheados de danças, de números circences, de cantigas de roda e de magia. Ambas as peças estão sendo ensaiadas há pelo menos dois anos e já apresentaram em várias cidades de Mato Grosso, inclusive em Tangará da Serra.

A Cia Revelação reuniu na semana passada em Campo Novo mais de 300 pessoas – público difícil de se imaginar em apresentações de grupos de cidades do interior. Entretanto, a companhia, bem como o Teatro Ogan, quase chegam a ser perfeitos... tai o por quê de tanto sucesso.
Por Alexandre Rolim - Diário da Serra

Ninho do Sol define agente cultural da Biblioteca


A Comissão Especial de Processo Seletivo esteve reunida na noite do dia 22 de março de 2013, no Ponto de Cultura Ninho do Sol, para definição do agente cultural da Biblioteca Comunitária Mãe Branca, espaço que faz parte do Ponto de Cultura Ninho do Sol, conforme Edital 02/2013, em atendimento ao Plano de Trabalho constante no Convênio nº. 054/2009, celebrado com o Governo de Mato Grosso através da Secretaria de Estado de Cultura, amplamanete divulgado. De acordo com o edital foram oferecidas vagas para oficineiro de Artes Cênicas - Teatro, oficineiro de Música - Violão e Teclado, oficineiro de Artesanato (diversas técnicas) e de agente cultural da Biblioteca, para contratação por um período de sete meses. As vagas de oficineiro não receberam nenhuma inscrição e serão lançadas em novo Edital de Seleção.

Compuseram a Comissão: Vanderlei Cesar Guollo, presidente; Silvia Regina Schneiders, secretária; e Eduardo da Silva, membro. Após abertura dos envelopes e análise detalhada da documentação dos três inscritos para a vaga de agente cultural, foi realizada a entrevista com as duas candidatas que compareceram.

A candidata VIVIANE TUNI, CPF nº 004.495.431-02 e RG nº 1565914-3, após a entrevista obteve a nota 9.0 (nove), classificando-se em segundo lugar na seleção de agente cultural. A candidata FERNANDA CARLA CARMINATTI, CPF nº 013.448.581-55 e RG nº 1742216-7, após a entrevista obteve a nota 14.5 (catorze e meio), classificando-se em primeiro lugar na seleção de agente cultural. O terceiro candidato inscrito, FABIANO RODRIGUES DE CARVALHO, CPF nº 036.645.041-78 e RG nº 210988-0 não compareceu à entrevista e está automaticamente desclassificado.

A candidata aprovada em primeiro lugar deverá comparecer à sede do Ponto de Cultura Ninho do Sol assim que for convocada, em horário comercial, sito à Rua Roberto Carlos Brólio, 342 NE, Bairro Nossa Senhora Aparecida, munida de cópia legível da documentação a seguir:

Apresentação de atestado laboral;
Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS;
Apresentação do cartão do PIS/PASEP.

quinta-feira, 21 de março de 2013

21/03 Dia da Síndrome de Down

O importante é ser feliz do jeito que é, se quer cantar então cante, se quer gritar então grite, se quer dançar então DANCE!


Essa bailarina queria dançar, então superou todos os desafios que a vida lhe impôs, e foi ser feliz! 21/03 Dia da Síndrome de Down.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Passarinho me contou...” nas comemorações do Dia Internacional dos Contadores de Histórias

‘Sorte e Destino’ é o tema do Dia Internacional dos Contadores de Histórias


Nesta quarta-feira, 20, comemora-se o Dia Internacional dos Contadores de Histórias, a contação de histórias vai ser celebrada na cidade com imaginação, diversidade e poesia. 

A trupe do Teatro Ogan já vem trabalhando a contação de histórias há alguns meses em Campo Novo do Parecis apresentando em noites culturais, festivais e vários outros eventos em nosso município, corando com um belíssimo e grandioso espetáculo voltado exclusivamente para a Contação de Histórias: “Passarinho me contou...” – que será apresentado no Fringe 2013 (Festival de Teatro de Curitiba).

E como hoje, mais do que qualquer outro dia, é o momento ideal para despertar o lúdico, atiçar a imaginação e levar poesia para todos, vamos permitir que vários passarinhos nos contem... Deixemos que eles nos levem às mil e uma histórias para atiçar a nossa curiosidade, trazer à tona os nossos medos, compartilhar os nossos sonhos, curar as nossas dores... Reacender os nossos amores...

Teatro Ogan em "Passarinho me contou..."
Origem da data

O Dia do Contador de Histórias foi criado em 1991, na Suécia, e tem como principal objetivo reunir os contadores e promover a prática em todo o mundo. Essa data exalta as pessoas que dedicam suas vidas a levar alegrias e histórias como meio de divertimento e aprendizado. Cada ano, muitos dos eventos de contadores de histórias individuais que acontecem pelo mundo estão ligados por um tema em comum, que anualmente é identificado e acordado por contadores de histórias por todo o mundo.

Cia Revelação de Teatro faz apresentação e emociona público camponovense

A Cia Revelação de Teatro fez sua última apresentação da peça “Parangolé”, no último sábado nas dependências do Centro Cultural, uma apresentação emocionante que nos remete a mais doce infância, e contagiou o público presente.

Foto: Elo Patrícia Durigon (Parecis.Net)
A noite de sábado foi marcada pela alegria e muita emoção e levou o público a aplaudir de pé a Cia Revelação. O público formado por crianças, jovens, adultos e idosos lotou o Centro Cultural de Campo Novo do Parecis. A Cia irá se apresentar no FRINGE, mostra paralela ao 22° Festival de Teatro de Curitiba, considerada o maior evento do país na área teatral.

O grupo já se prepara para encantar o público camponovense com a nova apresentação “CIRCO”.
Fonte: Parecis.net

A dança é a linguagem oculta da alma!

O que a dança não faz por uma pessoa? É magia pura! Fiquem com Deus, pensem positivo e não esqueçam de praticar o bem!

Fonte: Cia de Dança de Rua de Niterói via Facebook

Agora é cruzar os dedos e rezar!

Na noite do último domingo (17) a Cia de Arte Flor de Menina esteve realizando a gravação do vídeo que foi encaminhado para a Curadoria Artística do 31º Festival de Dança de Joinville para concorrer na seletiva do festival.


Estamos concorrendo na seletiva com a coreografia "Canon In D" e após uma semana inteira de trabalhos suados e cansativos temos a tranquilidade e de que nos esforçamos muito e ainda que não sejamos aprovados levaremos conosco o bom sentimento de que fora feito tudo que está ao nossa alcance para conseguirmos a nossa vaga.

Para compreenderem o grau de dificuldade do festival, no ano passado foram 2.579 coreografias de mais de 600 grupos inscritos para o evento e foram selecionadas somente 424. Destas 222 são da Mostra Competitiva de 129 grupos. Para o Meia Ponta que é o que nos interessa, foram aprovados apenas 31 grupos, com 46 coreografias. Já para os Palcos Abertos, o total de selecionados foi de 91 grupos, com 156 coreografias.

Agora é cruzar os dedos e rezar para sermos aprovados neste tão difícil seletiva!

sábado, 16 de março de 2013

Etiqueta nas aulas é importante!

Uma aula de dança é muito diferente de um laboratório de criatividade. Sua estrutura é complexa e extremamente relevante. Este é um guia de sugestões práticas. Algo pode ser útil, afinal, se ninguém lhe mostrou como se portar, como você poderia adivinhar?


  • Seja pontual. Caso chegue atrasada à aula já iniciada, peça ao professor permissão para entrar, de maneira discreta, sem alarde.
  • Desligue seu celular. Ou melhor, deixe-o do lado de fora da sala. Aproveite e jogue fora o chiclete também.
  • Uniforme: Descubra antes da aula se sua escola exige ou não uniforme. Caso adote, providencie logo, minimizando gafes desnecessárias.
  • Se a aula já começou, aqueça-se antes de começar! É a maneira mais eficaz de prevenir lesões e preparar o corpo para a dança. Mas faça em silêncio, em qualquer canto da sala, e só então acompanhe a turma.
  • É o professor que manda, dirige e ensina no seu território. Ele está trabalhando ali, tentando fazer o seu melhor. Mostre algum respeito à sua condução e propostas.
  • Use sua aula para estudar! Apesar de ser uma ótima ocasião para fazer novas amigas, as aulas de dança não são terapia em grupo e nem um bar. Converse com as amigas em outra ocasião. Aproveite cada aula como uma chance de aprender, crescer, se concentrar e se beneficiar de tudo mais que a dança pode te proporcionar.
  • Complexo de “primeira bailarina” é muito deselegante. A sala de aula é um local onde todas estão lá para estudar igualmente. Suas colegas não são sua platéia. Não domine o ambiente com perguntas desnecessárias ou atitudes blasés. Cumprimente todas, seja amigável e flexível, e lembre-se que você não é o centro das atenções. Toda a turma tem chances iguais.
  • A sala de aula é um local democrático. Não seja espaçosa, você não é dona de nada e não há lugares pré-determinados. Sendo assim, qualquer um pode ocupá-los.
  • Fica com sede durante a aula? Normal. Muito melhor do que sair a cada momento para se refrescar é levar uma garrafinha de água pra sala. Não atrapalha a aula e você não perderá nenhuma explicação/exercícios.
  • Novatas precisam de atenção e encorajamento. Seja generosa e mostre seu apoio. Com certeza elas se sentirão mais confortáveis para se expor e o professor poderá lhes dar mais atenção. Cuidado com os ciúmes!
  • Seja pró-ativa. Se o professor pedir para que demonstre um exercício, encare como mais uma oportunidade de estudo. Por que negar?
  • Quem respeita recebe respeito em troca. Caso o professor divida a turma em grupos, respeite as colegas enquanto executam algum exercício. Não converse, nem fique criticando ninguém, mesmo que você veja defeitos na sua maneira de executar. Manter as regras mínimas de boa educação é algo básico.
  • Faltou na aula? Às vezes acontece, mas nem o professor, nem a turma têm culpa disso. Não adianta chegar na aula seguinte bombardeando milhares de perguntas ou se sentindo injustiçada. Se você perdeu matéria, se esforce para “pegar”, mas sem “causar”.
  • Respeite sua vez e deixe os outros aproveitarem sua chance de fazer o exercício também. Siga o fluxo e nunca pare no meio ou passe na frente de alguém em “movimento”. Sem querer você pode causar um pequeno acidente.
  • Ao final da aula agradeça o professor, e ao trabalho desenvolvido ali. Bater palmas junto das demais colegas é um sinal de gratidão adequado.
Por: Eduardo Denardi

sexta-feira, 15 de março de 2013

Teatro Bolshoi no Brasil comemora 13 anos com dois espetáculos

Apresentações serão realizadas nos dias 14 e 15 de março, em Joinville. Cerca de 150 alunos participam da comemoração no Teatro Juarez Machado.


A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, a única fora da Rússia, completa 13 anos nesta sexta-feira (15). Para celebrar a data, a instituição de dança vai realizar dois espetáculos de gala em Joinville, no Norte de Santa Catarina. As apresentações serão realizadas nos dias 14 e 15 de março, às 20h, no Teatro Juarez Machado.

No programa 'Gala de Aniversário' serão apresentadas variações do balé "Don Quixote", o pas de deux do II ato do "O Lago dos Cisnes", as danças populares como a 'Polonaise' e a 'Valsa do Século XIX', um trecho do balé Raymonda e peças contemporâneas. "O critério para a escolha do repertório foi para a maioria dos alunos poderem entrar no palco", afirma Pavel Kazarian, diretor do Bolshoi no Brasil.


Cerca de 150 alunos participam das comemorações. "O espetáculo vai durar 1h15. Este ano serão duas apresentações devido a procura do público. Também será transmitido ao vivo pelo site do Bolshoi", conta Kazarian. No dia 15, data que marca o aniversário da Escola Bolshoi, além da apresentação haverá a participação especial dos calouros de 2013.

Os ingressos custam R$ 20 e estão à venda na recepção da Escola Bolshoi. Estudantes e idosos pagam meia-entrada. As apresentações de aniversário da instituição integram a agenda oficial dos 162 anos da cidade de Joinville, que foi comemorado no dia 9 de março.
Fonte: G1.com

Ponto de Cultura Ninho do Sol lança Edital de Processo Seletivo Simplificado

O Teatro Ogan torna público o Edital de Processo Seletivo Simplificado Nº 02/2013, para admissão de Oficineiros de Arte e Agente Cultural para o Ponto de Cultura Ninho do Sol, em atendimento ao Plano de Trabalho constante do Convênio Nº 054/2009, celebrado com o Governo do Estado de Mato Grosso através da Secretaria de Estado de Cultura/SEC-MT.


O Edital prevê a contratação para as seguintes vagas:

CÓDIGO
CARGO
C/H
VAGAS
REMUNERAÇÃO
01
Oficineiro de Artes Cênicas – Teatro
20h
01
R$ 685,00
03
Oficineiro de Artes Musicais – Violão e Teclado
20h
01
R$ 685,00
05
Oficineiro de Artesanato
20h
01
R$ 685,00
06
Agente Cultural
40h
01
R$ 1.027,50

O Processo Seletivo de que trata o presente Edital consistirá em análise de curriculum e entrevista.

A análise curricular será realizada por profissionais que farão parte da Comissão Especial de Processo Seletivo, designada pelo Grupo de Teatro Ogan e se dará mediante somatória de pontos da contagem de avaliação da experiência comprovada por meio de certificação, onde deverão constar a carga horária dos cursos de aperfeiçoamento, oficinas, seminários e a experiência profissional.

As inscrições serão recebidas no período de 11 a 15.03.2013, das 07h às 10h e das 13h às 16h na sede do Ponto de Cultura Ninho do Sol, na Rua Roberto Carlos Brolio, 342-NE, Bairro Nossa Senhora Aparecida.

Por Silvia Schneiders

quinta-feira, 14 de março de 2013

Flor de Menina se prepara para o Festival de Dança de Joinville

Bailarinas da Cia de Arte Flor de Menina - o Corpo de Baile do Ponto de Cultura Ninho do Sol, se preparam para participar da seletiva da 31ª edição do Festival Internacional de Dança de Joinville, que acontecerá entre 17 e 27 de julho deste ano. São 08 bailarinas camponovenses concorrendo na seletiva do Festival Meia Ponta com a coreografia "Canon In D" de Fábio Lima.

O festival, que acontece desde 1983 em Joinville, Santa Catarina, foi considerado pelo Guinness Book, em 2005, o maior festival de dança do mundo. São cerca de 4.500 bailarinos que circulam pelos 11 dias de evento. Estudantes e profissionais de dança que comparecerão ao festival consideram essa a principal oportunidade para mostrar coreografias, conhecer pessoas do mundo inteiro e trocar experiências.

Com o objetivo de estimular novos talentos, o Meia Ponta é uma mostra competitiva, que reúne bailarinos entre 10 e 12 anos, em três tardes, no Teatro Juarez Machado, anexo ao Centreventos Cau Hansen.

Os grupos selecionados se apresentam nos dias 18 e 19 de julho nos gêneros Balé Clássico de Repertório, Balé Clássico, Danças Populares, Sapateado, Jazz e Danças Urbanas. Os premiados em primeiro, segundo e terceiro lugares voltam ao palco na Tarde dos Campeões, que acontece no dia 20 de julho.

Entre os fatores avaliados no processo de seleção, dois deles recebem destaque no caso da mostra infantil: a adequação das peças escolhidas para os bailarinos, no caso do Balé Clássico de Repertório e o desenvolvimento adequado do tema proposto, no caso dos demais gêneros. Em ambos os casos, a técnica aplicada e o tema abordado precisam estar de acordo com a capacidade e idade dos pequenos bailarinos.

Cia de Arte Flor de Menina em "Sétimo Céu"

terça-feira, 12 de março de 2013

Com que idade começar no Baby Ballet?

E quando a criança ainda nem saiu da barriga da mãe?

Com certeza todos os professores já passaram ou passarão por isso. Mães que impõem o ballet na vida de “recém-nascidas”. Certa vez estava na escola que trabalho e uma mãe ligou dizendo o seguinte: Oi. Eu estou grávida e gostaria de saber sobre as aulas de ballet para quando minha filha nascer!

- Agora já podem rir!

Qual a idade certa para iniciar com as aulas de baby ballet?


Existem professores que dão aulas para as crianças de dois anos e acredite, eu já vi professora dando aula para crianças com um ano e meio de idade.

De verdade, eu acho que esses pais gostam de ser enganados. Porque não é possível acreditar que uma criança de um ano e meio vá aproveitar uma aula de baby ballet.

Existem várias opiniões sobre este assunto. Mas, posso afirmar que a baby ballet é altamente indicado para crianças acima de três anos. Antes disso é pura enganação. E ainda assim com três anos o trabalho é bem especifico, exigindo muita competência profissional.

A criança está em plena formação e uma má intervenção nesta fase poderá comprometê-la para o resto da vida.

Trabalho com criança a pelo menos dez anos e ao longo deste tempo pude perceber dentre várias tentativas com erros e acertos que a melhor idade para se iniciar com a técnica clássica é a partir dos oito anos.

Se a criança já fez alguns anos de baby ballet, é visível a diferença no processo de aprendizagem. Em alguns casos, quando a criança tem dificuldade, eu até recomendo uma aula de “pré-ballet” antes de iniciar efetivamente na aula totalmente clássica. E faz total diferença!

Mais uma vez venho dizer que a cautela e o bom senso são fundamentais para o professor de baby. A criança e a aula rendem muito mais quando iniciadas na idade correta!

Aula para crianças de dois anos até “pode”. Mas, o professor vai ter que estar ciente de suas responsabilidades além de trocar fralda no meio da aula e ter muita, muita paciência!
Por Lucas Schoeninger

segunda-feira, 11 de março de 2013

A brincadeira vai acabar...

E já tem hora, data e local para o final - que triste!


A Cia Revelação de Teatro estará apresentado pela última vez o espetáculo "Parangolé" e a despedida dos palcos camponovenses será no dia 16/03 às 20h na sede do Centro Cultural.

Creio que será permitido guardar uma leve tristeza, e também inúmeras lembranças boas; que não será proibido confessar que às vezes teremos saudades - muitas saudades; nem será odioso dizer que o fim ao mesmo tempo trará um inexplicável sentimento de alívio e de sossego, porque não só se brincou, nem só se introduziu sorrisos nos rostos, foi também criado um mundo mágico onde os sonhos puderam se tornar realidade sem a existência do mal, nem nada ruim, só existiu a vida pura e cheia de cores com inúmeras pessoas onde todas foram iguais sem ao menos lembrarem que existe um outro mundo. Isso foi... Isso é e sempre será PARANGOLÉ!

Não faltaram os grandes obstáculos... Sempre juntos, os brincantes percorreram retas, apoiaram-se nas curvas, descobriram cidades... As experiências compartilhadas no percurso até aqui foram a alavanca para alcançar a alegria de chegar ao destino projetado.

Que essa despedida possa ser um eterno reencontro.

Houve momentos perfeitos que passaram, mas não se perderam, porque ficaram em nossas vidas que a lembrança deles nos faz sentir maior a nossa solidão, mas que essa solidão ficou menos infeliz! Que importa que o espetáculo esteja acabando, pois ele brilhará para todo o sempre no fundo dos nossos corações e dos nossos confusos sonhos...

Hoje é o seu dia Elaine!

Se eu pudesse deixar algum presente à você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo a fora. Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável. Além do pão, o trabalho. Além do trabalho, a ação. E, quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesma a resposta e a força para encontrar a saída...
Mahatma Gandhi


Parabéns a você nesse dia tão grandioso Elaine são os mais sinceros votos da Cia de Arte Flor de Menina.

domingo, 10 de março de 2013

Dance pela sua saúde

Os benefícios sociais, emocionais e físicos associados à dança são mais do que conhecidos: e os mentais? Sabia que, para além de diminuir os níveis de stress e aumentar os níveis de serótina (e consequentemente o bem-estar geral), a dança tem a capacidade de nos tornar mais inteligentes, ao mesmo tempo que reduz o risco de demência. É o poder que a dança tem sobre o cérebro! Já dançou hoje?


Um estudo sobre a dança e o cérebro

Não é segredo nenhum que dançar faz bem à saúde, exterior e interior! O estudo sobre os efeitos fantásticos que a dança tem sobre o cérebro esteve a cargo do “New England Journal of Medicine” que chegou à simples conclusão que, da mesma forma que a dança nos ajuda fisicamente – queimando calorias, exercitando o corpo e mantendo-nos em forma – os seus efeitos sobre o cérebro são igualmente positivas: não só aumenta significativamente a agilidade mental, como até reduz o risco de doenças com uma forte componente de demência, como o Alzheimer, por exemplo. Ao longo de 21 anos, o estudo envolveu pessoas com mais de 75 anos de idade e observou a influência da prática de atividades cognitivas e físicas na luta contra a demência. Os resultados são surpreendentes: dançar frequentemente reduz o risco de demência em 76%! Segue-se a realização de palavras cruzadas 4 vezes por semana (reduz o risco de demência em 47%) e a leitura (reduz o risco de demência em 35%). Apesar dos seus óbvios benefícios físicos (nomeadamente cardiovasculares), a prática de modalidades desportivas como a natação, ciclismo ou golfe não contribuem para a redução do risco de demência. É caso para dizer, dance pela sua saúde!

Porque é que dançar faz bem ao cérebro?

Estimular a inteligência e o raciocínio e assim assegurar uma agilidade mental saudável, em qualquer idade, passa por estimular o próprio cérebro com coisas novas e diferentes, que nos obrigam a pensar de forma criativa e “fora da caixa”. Quando isto acontece, a luz da “lâmpada” que existe dentro do nosso cérebro brilha cada vez mais forte. Se o cérebro estiver habituado a lidar sempre com as mesmas coisas, sempre da mesma forma, o cérebro não é suficientemente estimulado e, consequentemente, a luz da “lâmpada” torna-se cada vez mais fraca. E é aí que doenças relacionadas com demência podem facilmente instalar-se. Ao aumentar a nossa reserva cognitiva, reduzimos significativamente o risco de sofrer de uma doença como Alzheimer. E é precisamente aqui que a dança se destaca: por ser uma atividade que requer decisões rápidas e constantes, a sua ação sobre o cérebro é extremamente positiva.

Mais dança, mais inteligência

Este estudo não só demonstrou que a dança pode tornar-nos mais inteligentes, mais rápidos a pensar e a conseguir soluções criativas, como revelou que dançar é ainda uma arma poderosa no afastamento de doenças degenerativas. Para além disso, quanto mais dançar melhor! E para potenciar ainda mais os efeitos da dança sobre o cérebro, deve optar por aprender diferentes estilos de dança (quanto mais exigentes, melhor!), improvisar sempre que possível (ao invés de cingir-se a passos coreografados) e se dançar a dois, trocar de parceiro de dança as vezes que puder… para manter a atividade interessante e o cérebro ativo! Precisa de mais algum motive para pisar a pista de dança?

Cursos livres na Escola de Dança de São Paulo

A Escola de Dança de São Paulo (antiga Escola Municipal de Bailado) oferecerá os seguintes cursos no período de 18 de março a 30 de junho de 2013.
  • Balé iniciante, Denise Passos, seg. e qua., 11h às 12h30.
  • Balé intermediário, Katiah Rocha, seg. e qua., 12h às 13h30 .
  • Balé para bailarinos contemporâneos, Robson Lourenço, seg. e qua., 12h às 13h30.
  • Balé para homens, Paulo Vinícius, ter. e qui., 13h às 14h30.
  • Dança contemporânea intermediário, Denise Passos, seg. e qua., 13h às 14h30.
  • Dança contemporânea, Paulo Petrella, ter. e qui., 11h30 às 13h.
  • Pilates, Wilson Helvécio, ter. e qui., 13h às 14h.
  • Danças brasileiras, Elizabeth Menezes, qua., 12h às 13h30.
  • Dança e música para crianças de 6 a 8 anos, Luciana Nunes/Sabine Marien, seg. e sex., 14h30 às 16h.
  • Iniciação à dança para crianças de 6 a 8 anos, Melina Sanchez, ter., 9h30 às 11h.

As inscrições devem ser feitas na secretária da escola entre os dias 11 e 14 de março, das 9h às 14h. É necessário levar uma cópia do RG e apresentar o documento original. As vagas são preenchidas de acordo com a ordem de chegada.


Aqui vão algumas dicas para facilitar a vida de vocês:

1. Vá no primeiro dia de inscrição, segunda-feira, 11 de março, e chegue às 9h.

2. Você pode preencher a ficha de inscrição no local ou levá-la preenchida. Em todo caso, preencha à caneta. E, por precaução, leve uma na bolsa porque você corre o risco de ser tratada de maneira ríspida, caso peça uma caneta na recepção ou ter de sair pedindo emprestado para alguma boa alma presente no local.

3. Já pense em outras opções caso não haja vaga para o curso que você quer.

4. E boa sorte!

A ficha de inscrição e a lista completa com todas as informações sobre os cursos podem ser baixadas diretamente do site do Theatro Municipal de São Paulo. Clique aqui e desça a página até encontrar “Cursos livres”.

Escola de Dança de São Paulo
Baixos do Viaduto do Chá, s/n, Centro
Telefones: (11) 3241-1332 / 3241-5336
E-mail: escoladedancasp@ig.com.br
Horário de funcionamento: de seg. a sex., das 9h às 11h30 e das 13h30 às 16h30.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Nos acostumamos com as migalhas... (2ª Parte)

Segue a 2ª parte do desabafo de um artista que consegui expressar o que muitos de nós bailarinos sentimos, mas jamais tivemos a oportunidade e/ou coragem de falar.


"O que mais me intriga, e me entristece, em toda esta história, é parecer que nunca existiu e que não existam vários projetos sociais com dança no Brasil, como se fosse uma grande novidade implantar projeto educacional através da dança em nossas comunidades, outro questão é virem dizer que não temos “capacitação”, quer dizer que todos estes anos de estudo e trabalho na preparação de bailarinos que hoje integram como 1ª bailarinos as principais companhias pelo mundo, não demostra nossa qualificação como profissionais.

Todos os anos exportamos bailarinos para as mais diversas companhias e escolas, ganhamos os principais concursos internacionais, eles vivem por aqui buscando nossos talentos, que já saem daqui prontos, isto também não nos qualifica. Mais especificamente no Rio, posso enumerar milhares de projetos que há anos desenvolvem um trabalho digno em nossas comunidades, por pessoas que realmente conhecem e sabem das necessidades e especificidades de cada comunidade.

Agora, mais uma vez me questiono o que estas pessoas conhecem da nossa realidade? Por que investir nosso dinheiro em mais um projeto de dança, só por que vem de fora, ao invés de investir nos projetos que aqui já existem, e que sofrem todos os anos para continuarem trabalhando, um exemplo é o Projeto da Maré, que conta com cerca de 350 crianças, e que durante boa parte do ano trabalham sem o menor incentivo financeiro seja do governo, seja da iniciativa privada, trabalham por amor a causa, por acreditarem na força da mudança através da dança.

O que precisamos é de infraestrutura e investimento financeiro, se querem nos ajudar que invistam seus dólares, seus euros, suas libras aqui, mas isso aposto que eles não querem, se é um intercâmbio, vamos ver o quanto cada parte está colocando, não me venham com a história que eles vão entrar com a mão de obra e nós com os recursos, tipo ”conversa para boi dormir”. O que estou entendendo, é que querem criar aqui no Rio, mais um Bolshoi de Joinville, agora com o nome Royal Ballet, até quando continuaremos permitir que coloquem nosso dinheiro, sem sermos consultados, em “chancelas” internacionais, como se isso fosse garantia de sucesso e respeito, admiro a trabalho deles, mas dentro da realidade deles, na casa deles.

Esta aqui é a nossa casa, devemos acreditar, incentivar e investir na nossa gente, no nosso talento, nos nossos profissionais." (Jorge Teixeira)

Você sabe do que é feita a sapatilha de uma bailarina?

Para quem dança já é uma boa curiosidade esse tema. Mas para quem não dança também é muito interessante saber como é feita uma sapatilha de ponta.

O que será que elas têm dentro que faz a ponta ficar tão dura e forte para suportar o peso do corpo e deixar as bailarinas prontas para se equilibrar na pontinha dos pés?

Muitas pessoas acham que o material utilizado é gesso, mas não tem nada a ver o gesso numa sapatilha. Ela é feita com uma espécie de ‘papier maché’, ou seja, camadas de tecido especial embebidos em cola própria para isso, deixando assim a ponta bem durinha e firme.


Além da parte da ponta, o restante da sapatilha é feito em algodão e cetim por fora o que proporciona beleza a bailarina no momento da dança.

Antes de aprendermos mais sobre sapatilhas é bom sabermos que a dança foi feita para todas as idades e o balé em especial pode ser dançado por qualquer pessoa que queira aprender, mesmo depois de adulta.

Roupas confortáveis devem fazer parte do guarda-roupa da bailarina na hora do treinamento diário. Material em helanca é fundamental (como collants, meias-calças, saias ou shorts e polainas).

Confiram o vídeo feito pelo Dr. José Luis Bastos Melo para um fabricante de sapatilhas e tire suas dúvidas a respeito desse calçado tão lindo que toda mulher sonhou um dia colocar nos pés.

Jovem de projeto social ganha bolsa do Royal Ballet


Eu sei que é meio atrasado, mas serve como exemplo para aqueles que acham que tudo não passa de um sonho maluco, uma fantasia das nossas cabeças... Uma ilusão dos nossos corações. Para quem pensa dessa forma só há uma coisa a dizer:

Não é impossível!

Seu sucesso depende só de você, decida o que quer e vá em frente!

Hoje é o seu dia Fernanda

O tempo não é uma medida. Um ano não conta, dez anos não representam nada. Ser artista não significa contar, é crescer como a árvore que não apressa a sua seiva e resiste, serena, aos grandes ventos da primavera, sem temer que o verão possa não vir. O verão há de vir. Mas só vem para aqueles que sabem esperar, tão sossegados como se tivessem na frente a eternidade.
Rainer Maria Rilke


Parabéns a você nesse dia tão grandioso Fernanda são os mais sinceros votos da Cia de Arte Flor de Menina.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Às Mulheres...

Polina Semionova
Porque a vida só se dá para quem se deu, para quem amou, para quem chorou, para quem sofreu. Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, ai de quem não rasga o coração, esse não vai ter perdão. Quem nunca curtiu uma paixão, nunca vai ter nada não...
Vinícius de Moraes

Bailarino do Bolshoi confessa ataque com ácido a diretor da companhia

Um bailarino solista do Balé Bolshoi, Pavel Dmitrichenko, e outros dois homens confessaram ser os responsáveis pelo ataque com ácido em janeiro contra o diretor artístico da companhia, Sergei Filin.

Segundo a polícia de Moscou, Dmitrichenko teria planejado o ataque. Ele, Yuri Zarutsky e o suspeito de dirigir o carro da fuga, Andrei Lipatov, foram detidos na terça-feira (5). A polícia fez buscas no apartamento de Dmitrichenko antes da prisão dos três suspeitos.

"Todos os três assinaram as confissões e foram colocados na prisão", afirmou a polícia de Moscou em uma declaração divulgada nesta quarta-feira (6). "O trabalho de investigação necessário está sendo feito para estabelecer as circunstâncias do crime."

O bailarino entrou para o Bolshoi em 2002, era um dos solistas do segundo escalão da companhia. mas não chegou a fazer parte do grupo dos principais solistas. Seu papel de mais importância foi como solista no balé Ivan, o Terrível, de Sergei Prokofiev.

Ainda não se sabe se Zarutsky ou o susposto motorista, Lipatov, têm algum envolvimento com o Bolshoi.

De acordo com o correspondente da BBC em Moscou Daniel Sandford, confissões são comuns na Rússia. No entanto, com frequência, os acusados reclamam depois de maus tratos.

O ataque contra o diretor artístico do Bolshoi, Sergei Filin, ocorreu em janeiro deste ano. Os olhos de Filin foram feridos seriamente quando um homem mascarado atirou ácido sulfúrico em seu rosto.

O ex-bailarino Dmitrichenko, que teria planejado o ataque ao diretor artístico do Bolshoi com ácido;
ele foi detido no último dia 5/3
Interrogatório

A polícia interrogou vários membros e empregados do Balé Bolshoi, procurando possíveis testemunhas do ataque.

Os investigadores estão tratando o caso como um ato premeditado de lesão corporal grave, motivado pelas atividades profissionais de Sergei Filin.

O ataque contra o diretor artístico do Bolshoi chocou o mundo das artes. Ele aconteceu após um período de disputas internas no Bolshoi, uma das mais prestigiadas companhias de balé da Rússia.

Filin deixou um hospital de Moscou no mês passado para continuar seu tratamento na Alemanha. Ele será submetido a novas cirurgias plásticas e terá um longo período de recuperação.

O diretor artístico, de 42 anos, foi seriamente queimado durante o ataque, realizado em uma rua de Moscou. Filin voltava para casa a pé, tarde da noite.

Segundo a polícia, o agressor se aproximou da vítima, a chamou pelo nome e atirou o ácido em seu rosto - fugindo em seguida. Uma câmera de segurança teria gravado imagens da ação.

O diretor artístico disse depois do crime que sabia quem era o responsável pelo ataque, mas falaria sobre ele apenas após sua identificação formal pela polícia.

Ele disse acreditar que o objetivo do atentado era removê-lo de seu cargo. Filin também disse que já vinha sofrendo ameaças.

O diretor artístico do balé russo Bolshoi Sergei Filin
deixa o hospital em Moscou para se tratar na Alemanha
Fonte: Folha Uol

Nos acostumamos com as migalhas...

O que vem a seguir foi escrito (em duas partes) por Jorge Teixeira do Conservatório Brasileiro de Dança do Rio de Janeiro, um desabafo pelas mesquinharias que nos é dado e total falta de apoio e reconhecimento aos bailarinos brasileiros.

Gala Royal Ballet - 1ª Parte


Há muito tempo venho me questionando, por que temos que tolerar e aceitar tudo que nos oferecem, e ainda por cima temos que ficar calados, por uma questão ética ou puramente política, são companhias e bailarinos estrangeiros que nos são vendidos como grandes estrelas, são galas que com certeza só são apresentadas aqui, sinto-me agredido, desrespeitado, como se não tivéssemos o menor conhecimento ou a menor cultura. Ao sair do TMRJ (Theatro Municipal do Rio de Janeiro), na última sexta feira, após assistir a tão esperada Gala do Royal, pela qual paguei R$84,00 reais, saí me perguntando: Será que é este tipo de Gala, que eles apresentam no Royal Opera House, será que se fossemos nós que apresentássemos uma gala deste tipo ela seria tão bem aceita, como aceitamos pelo Royal?

Acredito que não, não posso acreditar nisso, claro que tiveram momentos que não posso deixar de destacar, como a qualidade, refinamento e amadurecimento técnico e artístico de um casal como Marianela Nunez e Thiago Soares e beleza plástica, elegância, acabamento e braços tão bem colocados, como da Sarah Lamb, que fizeram valer a noite e a incontestável qualidade dos cantores, mas uma Gala tipo “self service”, sem a menor preocupação com uma produção, trechos de balés sem ambientação, figurinos de estilos diferentes no mesmo Pas de Deux, remontagens sem respeito às tradições clássicas, interpretações equivocadas e com excessos, fora terem sido retirados do programa dois Pas de Deux, que foram muito bem ensaiados no dia anterior, por que o bailarino estava se sentindo mal, por sinal, o mesmo bailarino que dançou com tanto vigor e empolgação o Grand Pas de Deux de A Bela Adormecida, talvez ele não estivesse a fim de dançar tanto para tão desqualificado público.

Enfim uma total falta de respeito.

Mas de quem é a culpa? A culpa é nossa, porque há tempos, aceitarmos calados, por que somos educados e deixamos que nos chamem e nos tratem ainda, como subdesenvolvidos, alienados, idiotas. Mais uma vez eu me pergunto, qual será o verdadeiro interesse deste intercâmbio, o que esta por trás disto tudo, quem realmente é o verdadeiro interessado e beneficiado? O quanto está sendo investido do nosso dinheiro neste projeto? Quem está ganhando? Esta é a nossa prioridade? Quando estamos passando um momento em que os corpos artísticos do TM, estão tão desfalcados, precisando serem renovados, quando a agenda de espetáculos do Teatro é tão duvidosa.

Está na hora de reagirmos de cobrarmos nosso respeito, de nos impormos como tão bom artistas que somos, sabemos da importância e qualidade de uma companhia como o Royal Ballet, mas também sabemos do nosso talento, da nossa capacidade e qualidade de trabalho e da importância dos bailarinos brasileiros para a dança mundial, uma companhia que tem em seu corpo de balé, dois primeiros bailarinos, 4 bailarinos no corpo de baile e uma das mais promissoras promessas da Cia todos brasileiros, tem que respeitar nossa capacitação, como artistas, como preparadores, como educadores que somos.

Temos tradição, história, grandes mestres, grandes artistas, estrelas, poderíamos ter uma das melhores Cias.do mundo, mas infelizmente não temos, vivemos num país, de falsos valores, que só da valor ao que vem de fora, que não respeita seus artistas, que não investe na arte, num país que não da opção ao seu povo de escolha, que tem que exportar seus artistas por falta de estrutura, de oportunidade. E quando isso ira mudar, vamos continuar de braços cruzados esperando, vamos sofrer até quando?

segunda-feira, 4 de março de 2013

Trabalho Lúdico

Hoje quero falar do trabalho do lúdico no balé com crianças de três anos em diante.

A atividade lúdica é importante porque desenvolve na criança a atenção, memorização, imaginação, enfim, todos os aspectos básicos para o processo da aprendizagem, que está em andamento quando a criança completa três anos de idade.

O sonho de ser princesa é coisa séria para as meninas desta faixa etária e nós professores devemos incentivar cada vez mais com exercícios que estimulam a criatividade além de tornar a aula mais prazerosa para a criança.


O pé da bailarina, o pé do palhaço, pega a bola ou solta a bola só trazem benefícios para as pequenas que ainda não conseguem associar a nomenclatura do balé clássico.

Professores a dica de hoje é criar sem medo! Invente nomes, movimentos, histórias e tudo mais que possa ajudar a criança a adquirir o gosto pela dança de forma lúdica. Aperfeiçoar-se com novas técnicas didáticas consistindo numa prática inovadora é tão importante quanto saber ensinar o “plié”.

O lúdico é um recurso didático dinâmico que garante resultados eficazes na educação e exige extremo planejamento e cuidado na execução da atividade elaborada.
Lucas Schoeninger

A Dança

A Dança

Não te amo como se fosse rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
te amo secretamente, entre a sombra e a alma.

Te amo como a planta que não floresce e leva
dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
e graças a teu amor vive escuro em meu corpo
o apertado aroma que ascende da terra.

A Dança

Não te amo como se fosse rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
te amo secretamente, entre a sombra e a alma.

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
te amo diretamente sem problemas nem orgulho:
assim te amo porque não sei amar de outra maneira,

Se não assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que a tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.
(Pablo Neruda)