terça-feira, 31 de maio de 2011

A Bailarina da Caixinha de Música

Era uma caixa delicada, de branca cerâmica trabalhada por mãos velhas e conhecedoras. Era uma caixa feita de paz e amor, repleta de ingênuas rosas pintadas. Era uma caixa feita de música, em que a bela bailarina rodava.

Era uma caixa delicada, levada numa noite fria de um quarto quente. Era uma caixa feita de paz e amor atirada para o mundo real, perdida numa feira poeirenta. Era uma caixa de música que tocava uma canção vazia.


Era uma caixa circular, de pés de cristal, debruada com delicados fios de ouro. Era uma caixa gasta e gaga, com uma bailarina cansada e desastrada, de passos hesitantes. Era uma caixa rachada, velha, deixada ao acaso na escadaria de uma igreja.

Era uma bailarina, uma moça, uma donzela, uma rapariga. Era uma melodia e muitas histórias. Era uma caixa de música e a sua vida.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Teatro Ogan apresenta "Amure" na Semana dos Museus

"Amure", apresentação realizada em Curitiba

A Semana dos Museus 2011, cujo tema é "Museu e Memória" iniciou sua programação em Campo Novo do Parecis no último dia 13 e segue até o dia 20 de maio, com palestras, oficinas, visitação ao museu e apresentação cultural.


O Teatro Ogan está inserido na programação com o espetáculo "Amure", de autoria de Van César, direção de Alexandre Rolim e produção de Sílvia Schneiders. A apresentação acontecerá na noite de quarta-feira, 25 de maio, às 19h30, no pátio do Museu Histórico.

"Amure" representou Campo Novo do Parecis neste ano de 2011 no 13º Fringe, evento que faz parte do 20º Festival de Curitiba, considerado o maior festival de teatro da América Latina e o segundo maior do mundo.

"Você é Amure, uma nova visão de Wazare..."
Sobre "Amure"

O espetáculo narra a trajetória de Kamayose, um jovem indígena da etnia Paresí-Haliti, que, após ser chamado pelo mundo espiritual, adentra nos mistérios de sua própria cultura rumo ao seu passado imemorial, na região de Ponte de Pedra.


Com o apoio de sua mãe (a velha cacique) e guiado por personagens como o Pai-do-Mato, Katimalalo - a serpente espírito, Katiyatiyaonero - o espírito das águas, e Soetete - o pássaro espírito, Kamayose faz uma viagem mágica dentro de sua própria cultura e na memória coletiva de seu povo.

"Enfim, amanheço!"

O espetáculo é uma aula de história sobre a ocupação humana no Chapadão do Parecis, mostrando as relações que o povo Haliti travou com os colonizadores, as missões jesuíticas, a marcha de Mal. Rondon e os bandeirantes, o que ocasionou um rápido processo de aculturação, de perda de cultura, por parte dos indígenas.


Um espetáculo para apreciar e questionar!

terça-feira, 17 de maio de 2011

Os Sete Pecados - Gula

Heilig Tema da Gula

Gula é o desejo insaciável, além do necessário, em geral por comida, bebida ou intoxicantes.
Para algumas denominações cristãs, é considerado um dos sete pecados capitais. Segundo tal visão, esse pecado também está relacionado ao egoísmo humano: querer ter sempre mais e mais, não se contentando com o que já tem, uma forma de cobiça. Ela seria controlada pelo uso da virtude da temperança. Entretanto, a gula não é considerada um pecado universalmente; dependendo da cultura, ela pode ser vista como um sinal de status.
Alusão da Gula
Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Gula

Os Sete Pecados - Avareza

É o apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e pelo dinheiro, priorizando-os e deixando Deus em segundo plano. É considerado o pecado mais tolo por se firmar em possibilidades.
Na concepção cristã, a avareza é considerada um dos sete pecados capitais, pois o avarento prefere os bens materiais ao convívio com Deus. Neste sentido, o pecado da avareza conduz à idolatria, que significa tratar algo, que não é Deus, como se fosse deus.
Der befehl des konig Herodes tema da Avareza

Avareza, no cristianismo, é sinônimo de ganância, ou seja, é a vontade exagerada de possuir qualquer coisa. Mais caracteristicamente é um desejo descontrolado, uma cobiça de bens materiais e dinheiro, ganância. Mas existe também avareza por informação ou por indíviduos, por exemplo.
Para o avaro, os bens materiais deixam de ser um meio para aquisição de bens e serviços e para a satisfação das necessidades, mas um fim em si. A avareza opõe-se à virtude da generosidade.

Ainda de acordo com a definição usual, valores imateriais como a inteligência, cultura, arte, beleza e amor não existem para o avarento, pois tais elementos são abstratos e não podem ser convertidos em dinheiro.
O avarento renega aos próprios desejos e necessidades para ter apenas uma possibilidade de gozar do fato de poder possuir um pouco mais de dinheiro em suas economias.

"Há homens nascidos para possuir e que sabem vivificar tudo o que possuem. Outros não o sabem; a sua riqueza falta graça; parece um compromisso firmado com seu caráter. Dir-se-ia que roubam os próprios dividendos. Deveriam possuir aqueles que sabem administrar, não os que acumulam e dissimulam, não aqueles que quanto mais possuem, mais mendicantes se mostram, porém aqueles cuja atividade dá trabalho a maior número, abre caminho para todos". (Ralph Waldo Emerson, A conduta para vida, p. 71).

"A quem dá liberalmente, ainda se lhe acrescenta mais e mais; ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á em pura perda." Provérbios 11, 24.
Os avarentos. Dante conversa com o papa Adriano V (Divina Comédia, Purgatório, Canto XIX) - gravura de Gustave Doré, século 19.
Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Avareza_(pecado)

Os Sete Pecados - Ira

Ira é um intenso sentimento de raiva, ódio, rancor, um conjunto de fortes emoções e vontade de agressão geralmente derivada de causas acumuladas ou traumas. Pode ser visto como uma cólera e um sentimento de vingança, ou seja, uma vontade frequentemente tida como incontrolável dirigida a uma ou mais pessoas por qualquer tipo de ofensa ou insulto.

Requiem For a Dream tema da Ira


Ira é um sentimento mental e emotivo de conflito com o mundo externo ou consigo mesmo, que controlamos pouco e manejamos pior ainda, deixando-nos fora de nossas ações. Essa explicação quer dizer que a ira é uma emoção que surge em nossa mente devido a um acontecimento especial ocorrido, seja no meio em que a pessoa está ou com ela mesma, diante de alguma situação qualquer. Ou seja, a ira pode refletir-se tanto contra os outros quanto contra si próprio, dependendo de como se desenha o ocorrido. Quando surge a ira, somos tomados pelas emoções de tal forma que perdemos a racionalidade, deixando-nos fora de nosso juízo normal, podendo nos levar a cometer erros da qual nos arrependeremos posteriormente.

Por ter componentes irracionais, a ira não deve ser confundida com o ódio, que pode atingir seus objetivos destrutivos somente pela racionalidade. A ira é uma explosão forte de um sentimento ruim, proveniente de uma contrariedade, de uma desilusão, de um acontecimento inesperado e ruim, de uma inconformidade ou de uma culpa. Essa explosão, quando ocorre, faz o indivíduo perder a noção de seus atos, fazendo-o agir irracionalmente. Quando muito forte, a ira pode converter-se em ódio, o que faz a pessoa querer, pelo uso da razão, se vingar e compensar o que sente de ruim, sentindo prazer ao obter êxito. A ira é um sentimento rápido e breve, enquanto o ódio pode durar até uma vida inteira. Apesar disso, num ataque de ira, pode-se cometer erros até mais graves que as vinganças movidas pelo ódio, tamanho seu poder de estimular os ímpetos maléficos de uma pessoa.

A linguagem popular pode apoderar-se do fato de que a raiva é algo diferente de nós, não inerente ao ser humano normal, fazendo-nos perder a capacidade de controle e uso da razão, com o objetivo de criar expressões e ditos muitas vezes jocosos. Quando uma pessoa está irada, é comum que se diga que ela virou um bicho, está com o diabo no corpo, possuída ou muitas outras expressões que mudam conforme a região e o país em que se vive.
Quadro representando a Ira

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Ira

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Os Sete Pecados - Soberba

Soberba é o sentimento negativo caracterizado pela pretensão de superioridade sobre as demais pessoas, levando a manifestações ostensivas de arrogância, por vezes sem fundamento algum em fatos ou variáveis reais. O termo provém do latim superbia.

As manifestações de soberba podem ser individuais ou grupais. Em termos grupais, podemos exemplificar o nacionalismo xenófobo como uma faceta da soberba. Também todos os tipos de racismo, corporativismo, elitismo, doutrina de povos escolhidos ou eleitos e outras concepções semelhantes, em que um grupo se firma na crença de que é superior, demonstram matizes da soberba.
Vater Unser - Lords Prayer - Tema da Soberba

A manipulação da soberba, do orgulho e da pretensão de superioridade de um grupo ou nação pode mobilizar conflitos armados, onde tais sentimentos de uma massa humana pouco crítica servem aos interesses políticos, econômicos, ideológicos ou religiosos de seus líderes. Exemplo recente encontra-se na doutrina de superioridade da raça Ariana, que serviu de base ideológica para arrigimentar uma nação e desencadear uma Guerra Mundial. Além deste, podem ser citados o regime de Apartheid que vigorou na África do Sul, a atitude dos colonizadores europeus nos séculos XIX e XX, a atitude recíproca da parcela radical de árabes e judeus, o sistema de castas da sociedade indiana, a Ku Klux Klan norte-americana, entre inúmeros outros. Também se observa processo semelhante na grande maioria das guerras religiosas registradas na História, o que vem contabilizando um sem-número de mortes, mutilações, retaliações, revanchismos e hostilidades de vários gêneros.
Alusão da Soberba, 1788.


Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Soberba

Os Sete Pecados - Luxúria

A luxúria (do latim luxuriae) é o desejo passional e egoísta por todo o prazer sensual  e material. Também pode ser entendido em seu sentido original: “deixar-se dominar pelas paixões”.

A luxúria é um pecado capital,  tão forte que segundo a doutrina católica, serve de "porta" para levar aos outros pecados.
Angst - Tema da Luxúria

No caso da luxúria há diversas ramificações como, por exemplo, prostituição, sodomia, pornografia, incesto, pedofilia, zoofilia ou bestialismo, fetichismo, sadismo (busca de prazer infligindo dor ao parceiro) e masoquismo (busca de prazer recebendo do parceiro punições que envolvem dor), desvios sexuais e tantos outros pecados relacionados com a carne. A luxúria, segundo a mesma doutrina, pode acarretar em consequências como, por exemplo, o estímulo ao aborto (no caso de gravidez indesejada), transmissão de doenças sexualmente transmissíveis, abuso sexual (no caso de pessoas com desvios sexuais que buscam na submissão do outro o seu prazer ou em pessoas que sofreram na infância tais abusos). Portanto a luxúria seria uma porta de acesso a outros pecados (desvios morais).
Os Sete Pecados - Luxúria
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Lux%C3%BAria_(pecado)

sábado, 14 de maio de 2011

Os Sete Pecados - Preguiça

A preguiça é a pouca ou falta de disposição ou aversão ao trabalho, demora ou lentidão para fazer qualquer coisa. É o tédio ou a tristeza em relação aos bens interiores e espirituais. É um aborrecimento natural pelo trabalho no dia-a-dia, se o mesmo não tiver seu esforço recompensado.
video
Jingle Bell's - Tema da Preguiça

Este sentimento faz com que as pessoas desqualifiquem os problemas e a possibilidade de solução. A preguiça não se resume na preguiça física, mas também na preguiça de pensar, sentir e agir. A crença básica da preguiça é "Não necessito aprender nada", levando a um movimento limitador das idéias e ações no cotidiano e traduzido pelo "deixa para depois". A origem da palavra vem do hebraico: atsêl, que pode ser traduzida por lentidão ou indolência. A preguiça é considerada pecado mortal ao se opor diretamente ao amor a Deus.
Os Sete Pecados - Preguiça
A característica básica da preguiça pode ser encontrada em pessoas que freqüentemente adiam compromissos, decisões, projetos, mudanças, ou até simples afazeres rotineiros, comprometendo o resultado desejado, com a justificativa de que não houve tempo, ou que irá realizar outro dia, mas que na verdade, tentam ocultar uma insegurança exagerada em sua própria capacidade de agir. Utilizam-se do desânimo, esquecimento, como estratégia para fugir da necessidade de arregaçar as mangas e enfrentar a parte que lhes cabe realizar na vida. É como se sentissem imobilizadas perante à vida.

Fonte: http://www2.uol.com.br/vyaestelar/preguica.htm

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Os Sete Pecados - Inveja

É um sentimento de aversão ao que o outro tem e a própria pessoa não tem. Este sentimento gera o desejo de ter exatamente o que a outra pessoa tem (pode ser tanto coisas materiais como qualidades inerentes ao ser) e de tirar essa mesma coisa da pessoa, fazendo com que ela fique sem. É um sentimento gerado pelo egocentrismo e pela soberba de querer ser maior e melhor que todos, não podendo suportar que o outro seja melhor.

Sorrow - Tema da Inveja

A origem latina da palavra inveja é "invidere" que significa "não ver". Com o tempo essa definição foi perdendo o sentido passando a ser usado ao lado da palavra cobiça, que culminou, então, no sentido que temos hoje.

Os indivíduos disputam poder, riquezas e status, aqueles que possuem tais atributos sofrem do sentimento da inveja alheia dos que não possuem, que almejariam ter tais atributos. Isso em psicologia é denominado formação reativa: que é um mecanismo de defesa dos mais "fracos" contra os mais "fortes".

A inveja é originária desde tempos antigos, escritos em textos, que foi acentuado no capitalismo e no darwinismo social, na auto-preservação e auto-afirmação, a inveja seria, popularmente falando, a arma dos "incompetentes".

Numa outra perspectiva, a inveja também pode ser definida como uma vontade frustrada de possuir os atributos ou qualidades de um outro ser, pois aquele que deseja tais virtudes é incapaz de alcançá-la, seja pela incompetência e limitação física, seja pela intelectual.
A inveja, conforme Sebastián de Covarrubias, gravura século 16
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Inveja

Anjos de Ouro apresenta “Os Sete Pecados”

O Grupo Anjos de Ouro ousa nas suas apresentações e levará, ao II EncenArte de cenas curtas (festival de performance, esquete)  “Os Sete Pecados”. Sob coreografia de Fábio Lima o grupo, que pertence às atividades de balé do Ponto de Cultura Ninho do Sol, mostrará as tentações dos pecados que atormentam um ser humano.

Tema de abertura da performance "Os Sete Pecados"

O papa Gregório Magno no século VI instituiu os sete pecados capitais, que são os princípios que ferem a Deus, a você e ao próximo.

Representação dos Sete Pecados Capitais por Bosch
Os conceitos incorporados, no que se conhece hoje como os sete pecados capitais, tratam de uma classificação de condições humanas conhecidas atualmente como vícios – que é muito antiga e que precede ao surgimento do cristianismo, mas que foi usada mais tarde pelo catolicismo com o intuito de controlar, educar e proteger os seguidores, de forma a compreender e controlar os instintos básicos do ser humano.

Os sete pecados capitais são: Gula, Avareza, Inveja, Ira, Soberba, Luxúria e Preguiça.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Pecado_capital_(cristianismo)

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Troféu "Lethicia Lima" premiará os melhores do II Festival EncenArte

O II Festival EncenArte de Cenas Curtas, de tema livre, é uma promoção do Teatro Ogan e do Instituto Parecis Cultural e acontecerá nos dias 28 e 29 de maio de 2011, em comemoração aos 16 anos de fundação do Teatro Ogan, ocorrido em 10 de maio de 1995.
"Lethicia Lima", atriz, cede seu nome para o troféu EncenArte
Com o objetivo de incentivar a realização de trabalhos cênicos dos mais diversos grupos e artistas de Campo Novo do Parecis e região e fortalecer a cidadania e a identidade cultural, no II Festival EncenArte serão apresentados espetáculos nas modalidades teatro de rua, esquetes em palco italiano e performances. Também serão realizadas oficinas com o objetivo de aprimoramento técnico de artistas e grupos.

Um dos diferenciais do II Festival EncenArte é que ele acontecerá em locais alternativos, como praças e outros locais definidos pela Organização.

A avaliação das montagens será feita por três convidados que premiarão com o Troféu “Lethicia Lima” as seguintes categorias:
• 1ª Melhor Montagem;
• 2ª Melhor Montagem;
• 3ª Melhor Montagem;
• Melhor Ator;
• Melhor Atriz;
• Melhor Direção;
• Melhor Técnica.

As inscrições vão até o dia 20 de maio, e podem ser feitas pelo email: teatrogan@hotmail.com.

Send It On - Tema da coreografia da Cia Flor de Menina

Enfim... As Apresentações!

"Em cada passo percorremos diversos caminhos...
Em cada dança sonhamos, com os pés no chão!"
Na noite cultural das Mães do último dia 04 de maio a Cia de Arte Flor de Menina voltou a subir aos palcos camponovessenses... E até parecia que esse dia nunca ia chegar!

Após sucessivos – e cansativos ensaios o Flor de Menina se apresentou para um público de mais de 700 pessoas!
Flor de Menina
O nervosismo foi tão grande que percebíamos já nos bastidores, mãos suadas e geladas, o frio na barriga e, por fim, a sensação de dever cumprido...

O evento, organizado pelo Departamento de Cultura de Campo Novo do Parecis e com a participação do Ponto de Cultura Ninho do Sol, contou com diversas apresentações de dança, música e exposição de artes plásticas.
Send It On - Coreografia Fábio Lima
Com a coreografia Send It On a Cia recebeu - merecidos, elogios dos organizadores, público e instrutores que prestigiaram o evento. Tanto esforço fora recompensador!

Mas não acabou não! Pelo contrário está apenas começando, pois o Flor de Menina tem apresentação marcada já para o dia 25 deste mês e a participação no II Festival EncenArte.
"Apenas sorria e o mundo sorrirá com você..."
Agenda lotada! Mas é assim que é bom, porque é assim que gostamos. Quanto mais dançarmos e apresentarmos... MELHOR!


Fotos: Alexandre Rolim

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Anjos de Ouro, Estrelas do Amanhã e Delicatta na Noite Cultural das Mães

Grupo Anjos de Ouro
No último dia 04 deste mês o Centro Cultural promoveu a Noite Cultural das Mães, evento tradicional que ocorre há mais de 15 anos em Campo Novo do Parecis.

Com diversas apresentações que envolviam música e dança – balé, dança do ventre, dança de rua, axé, rebolation e tango – o evento contou com mais de 700 pessoas, desde público a artistas, surpreendendo até mesmo os organizadores.
Grupo Delicatta
Os grupos Anjos de Ouro, Estrelas do Amanhã, Delicatta e Cia. De Arte Flor de Menina do Ponto de Cultura Ninho do Sol participaram da noite cultural com apresentações direcionadas às mães.
Grupo Delicatta com a coreografia "Mãe"
Os Babys Class Estrelas do Amanhã e Delicatta apresentaram as coreografias “Mãe” e “A Bailarina da Caixinha de Música”, respectivamente, sob coreografia de Fábio Lima.

A Cia de Arte Flor de Menina apresentou-se na noite com a coreografia “Send It On”.
Já o grupo Anjos de Ouro apresentou a coreografia “No meu coração você sempre vai estar” com um Pas de Deux inicial entre a bailarina Fernanda e o oficineiro e coreógrafo Fábio Lima.
Grupo Anjos de Ouro com a coreografia
"No meu coração você sempre vai estar"

sábado, 7 de maio de 2011

Mãe de bailarina


Ser mãe de bailarina é ser envolver até a alma

E misturar o amor com a dança
É se perder no tempo e observar os minutos que fogem
Vivendo intensamente este momento.

Desejando que o tempo pare
Para que eu possa me deter neste compasso
Deixar que a melodia assumisse o comando.
E me tornar prisioneira desta beleza que vem dos teus olhos.

É me encantar com o brilho que vejo no seu sorriso
Saber que a musica que está na ponta dos seus pés, toca sua alma.
É sentir orgulho da sua dedicação
Sabendo que tudo que fazes chega antes em seu coração



Ser mãe de bailarina
É acompanhar os seus pés soltando do chão
Voar com o seu bailado, como se tivesse ao seu lado.
E imaginar sermos únicas novamente
Trazer-te para o meu ventre e seguir no pulsar do seu coração.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Vem aí o II Festival EncenArte de Cenas Curtas

No período de 26 a 29 de maio de 2011 o Teatro Ogan e o Instituto Parecis Cultural estarão realizando o II Festival EncenArte de Campo Novo do Parecis.

Nesta 2ª edição do Festival, o mesmo se define como "de Cenas Curtas", já que a primeira edição foi de comemoração dos 15 anos de "fazer teatral" do Teatro Ogan, e direcionado para um ciclo de apresentações e oficinas.
Van Cézar em Balé de sangue, cena da performance A Cela
O II Festival EncenArte abrirá espaço a grupos e artistas cênicos que possuem montagens curtas (esquetes - teatro de rua) ou performances com músicas, movimentos, expressões, entre outros.

Um dos diferenciais do EncenArte será a utilização de diversos espaços da cidade, como praças, estacionamentos, lanchonetes, além do espaço formal do Plenário do Fórum. Enfim, o "fazer teatral" ocupará todos os espaços durante o festival.

Artistas amontoados

Artista e público amontoados
Mais de 700 pessoas num espaço improvisado
A falta de espaços físicos para apresentações culturais em Campo Novo do Parecis já se tornou um agravante inaceitável. Quem foi ao Centro Cultural nesta quarta-feira, 04, na Noite Cultural das Mães, evento tradicional que ocorre há mais de 15 anos na cidade, viu artistas e público amontoados em um espaço improvisado sem as mínimas condições para exibir os seus trabalhos.
Artista e público amontoados
Mais de 700 pessoas num espaço improvisado
Um barracão, cedido pela Associação de Moradores do Bairro Nossa Senhora Aparecida, sem conforto, iluminação e palco adequados é o que se via. Enquanto isso, cerca de 700 pessoas se amontoavam, algumas sentadas (em cadeiras ou no chão) outras em pé, para assistir às apresentações de dança, música e capoeira.

Os espaços físicos da cidade, além de limitados, não comportam mais os eventos. O Auditório do Fórum, o mais adequado, tem lugar para 250 pessoas e também fica abarrotado, tornando quase impossível ao público assistir ao que se passa no palco. A área cultural talvez não receba o devido tratamento. Os investimentos no setor são mínimos. Mesmo assim, um grupo de pessoas se desdobra para não deixar o barco afundar.

Juntos, o Departamento de Cultura e o Ponto de Cultura Ninho do Sol atendem quase duas mil crianças, adolescentes e adultos em oficinas, o que corresponde a aproximadamente 10% da população local. Se considerarmos outros projetos, associações e demais agremiações de artistas percebemos que esse número quase duplica.

Será que essa parcela da população não tem importância? Se considerarmos o tripé no qual estas entidades desenvolvem suas atividades (socioeconômico, socioeducativo e sociocultural) percebemos que a relevância é alta e que os investimentos devem ser mútuos.

O tal espaço onde funciona o Centro Cultural foi cedido à Prefeitura Municipal pela Comunidade do Bairro Nossa Senhora Aparecida ainda no governo Stefanello através de convênio. Como contrapartida o prédio receberia benfeitorias anuais e isso pouco tem acontecido.

Os últimos grandes investimentos ocorreram ainda em 2008. Desde então, o local passou apenas por uma pintura e recebeu postes de iluminação externa. No mais, o espaço está tal como foi repassado à Prefeitura Municipal, há cinco anos.

O barracão que falei a pouco se resume a uma estrutura pré-moldada com cobertura e paredes pela metade, sendo impossível, em noites de frio ou chuva, a realização de eventos. Há também um palco inacabado, usado como depósito de materiais, e dois banheiros em condições precárias.

Um projeto de 2007 previa adequações no local, como ajustamento e conclusão do palco, término da edificação das paredes e a construção de sanitários apropriados para atender funcionários, arte educandos e público. Este projeto se perdeu ou ficou apenas no papel.

Existem promessas de construção de um espaço mais esmerado para a classe artística local fazer suas manifestações culturais, entretanto, o que se sabe de concreto é que será construído um palco na Praça 04 de Julho, porém, este será em local aberto e não atenderá a todas as demandas.

Enquanto isso, continuaremos a assistir em pé nossas crianças se apresentando em palcos improvisados em locais inadequados. Sim, continuaremos, pois estamos acostumados com as migalhas que nos são dadas.


Alexandre Rolim - Presidente
do Conselho Municipal de Política Cultural